Farmacoeconomia e Acesso ao Mercado
Formação acreditada pela Ordem dos Farmacêuticos para a obtenção de créditos

FICHA TÉCNICA:

CONVOCATORIAS:

Lisboa:

  • Abril a Junho de 2019
  • 60h Horas Letivas: às 3ªas e 5ªas feiras, das 18h-22h.
OBJETIVOS:

O Objetivo do Programa é proporcionar uma formação sólida sobre avaliação económica de tecnologias de saúde e acesso ao mercado, na área dos medicamentos e dos produtos de saúde, por forma a:

  • Conhecer o Sistema de Saude Português a sua evolução, desde a sua conceção até à sua atual estrutura e organização.
  • Conhecer os distintos Modelos de Financiamento dos cuidados de saúde, por forma a ajudar a compreender os motivos das decisões no âmbito do acesso às tecnologias de saúde.
  • Saber identificar a importância e influência crescente das Administrações das Instituições Saúde e de outros decisores-chave ao nível do Sistema de Saúde, assim como a necessidade de consolidar relações de sucesso com as Autoridades do Sistema de Saúde e do Serviço Nacional de Saúde.
  • Conhecer e segmentar de forma prática os “financiadores” para saber qual o papel que ocupam nos processos de decisão, quais as suas reais necessidades e o porquê de determinadas decisões que tomam.
  • Dominar as bases que fundamentam os projetos de maiores necessidades e impacto por parte dos prestadores de cuidados de saúde.
  • Entender o papel que tem a Industria Farmacêutica no atual contexto, complexo e de mudança e saber como responder às necessidades e exigências das Autoridades do Sistema de Saúde e dos Agentes Reguladores que a constituem.
  • Criar e desenvolver planos de “Acesso ao Mercado” segundo o tipo de produto, conforme o con-texto existente e as necessidades identificadas.
  • Conhecer de forma muito prática as ferramentas necessárias para demostrar o valor de uma nova alternativa terapêutica ou de uma alternativa terapêutica já existente, dentro do Plano de Acesso ao Mercado: redação e revisão de documentos de posicionamento terapêutico, preparação do dossier de valor terapêutico acrescentado (VTA), elaboração de um estudo de avaliação económica, estratégia de abordagem a pagadores/financiadores, etc…
  • Identificar e abordar grupos de opinião importantes para o desenvolvimento de um Plano de Aceso de um novo medicamento ou tecnologia de saúde.
  • Desenvolver e interpretar análises de avaliação económica e estudos de “Real World Evidence” (RWE), que evidenciem o valor de um medicamento ou de uma tecnologia de saúde.
  • Conhecer as ferramentas de apoio à comunicação de valor na área de acesso ao mercado, junto dos principais decisores institucionais.
  • Dominar os princípios de negociação em saúde, independentemente do nivel de negociação.
  • Melhorar as competências profissionais mais importantes para o desenvolvimento com êxito de uma função de Acesso ao Mercado, seja ela de customer facing ou office.
DIRIGIDO A:

Profissionais do Sector da Saúde que desejem especializar-se e/ou ampliar os seus conhecimentos nesta área funcional, na área do medicamento e das tenologias de saúde.

1.- O SISTEMA DE SAÚDE PORTUGUÊS

1.1.  Conceitos de sistema e de serviço (nacional) de saúde (SNS)

1.2.  De onde vimos, onde estamos e para onde caminhamos.

1.3. O Serviço Nacional de Saúde Português

1.4.  Diferentes modelos de contratualização, financiamento e prestação de serviços

1.5.  Modelos de colaboração público-privado

1.6.  O panorama da saúde pública

1.7.  O setor privado da saúde

1.8.  O setor social da saúde

2.- OS “ STAKEHOLDERS” DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

2.1.  Distribuição dos stakeholders da saúde de acordo com a sua abrangência geográfica: nacional, regional e local

2.2.  Como definir: decisores, influenciadores e prescritores/utilizadores

2.3.  Quem são os: financiadores, pagadores e prestadores, no sistema de saúde português

2.4.  Mapa da rede de acesso na saúde (àrea do medicamento)

2.5.  Segmentação, targeting e posicionamento na área do acesso ao medicamento

2.6.  Stakeholders management

2.7.  Estratégias de comunicação na área do acesso ao medicamento

2.8.  As ferramentas mais comuns para comunicar com os diferentes stakeholders

3.- PROCESSOS E FUNÇÕES RELACIONADOS COM ACESSO O MERCADO, NO ÂMBITO DO MEDICAMENTO

3.1.  Os ensaios clínicos e o acesso ao mercado

3.2.  Programas de Acesso Precoce (PAP)

3.3.  As agências de avaliação de tecnologias de saúde

3.4.  Panorama atual e futuro da avaliação das tecnologias de saúde

3.5.  As Comissões de Farmácia e Terapêutica (CFT)

3.6.  Outras comissões de escolha de medicamentos e/ou dispositivos médicos

3.7.  A função dos Serviços de Aprovisionamento nos hospitais

3.8.  O processo de formulação de preço e de financiamento dos medicamentos e dos dispositivos médicos

3.9.  Elaboração do dossier de valor

3.10.  Ferramentas de apoio à demonstração de valor (clínico e económico)

3.11.  Novas formas e modelos de financiamento

3.12.  O sistema de preços de referência

3.13.  Negociação

3.14.  O processo negocial em saúde – área do medicamento e dos dispositivos médico

3.15.  O modelo de account management

3.16. O que é / o que faz o account manager

3.17. Ferramentas de apoio à gestão de contas

3.18.  Parcerias entre diferentes players da saúde

3.19.  Definição, construção e gestão de projetos em saúde

3.20.  Gestão de Unidades de Saúde

3.21.  As relações institucionais em saúde

4.- A AVALIAÇÃO ECONÓMICA DE TECNOLOGIAS DE SAÚDE COMO SUPORTE À ESTRATÉGIA DE ACESSO AO MERCADO

4.1.  Conceito da avaliação económica em saúde

4.2.  Efetividade, eficácia e eficiência: conceitos

4.3.  Tipos de avaliação económica

4.4. Análises da disponibilidade para pagar

4.5.  Fontes de informação – efetividade, recursos de saúde e custos unitários

4.6.  Análises de sensibilidade: conceitos e tipos

4.7.  Orientações metodológicas para a elaboração de estudos de avaliação económica

4.8.  Interpretação de resultados e leitura crítica de uma análise custo-efetividade

4.9.  As diferentes utilidades de um dossier de valor

4.10.  Real World Data e Real World Evidence (RWD e RWE).

5.- BIG DATA

5.1.  Os diferentes sistemas de informação hospitalares

5.2.  Principais recolhas e análises de informação a nível hospitalar

5.3.  Os diferentes sistemas de informação dos cuidados de saúde primários

5.4.  Principais recolhas e análises de informação ao nível do ambulatório

5.5.  Metodologias de avaliação da performance das instituições de saúde

5.6.  Métricas para a avaliação da performance das instituições de saúde

5.7.  Ferramentas de avaliação da performance das instituições de saúde

6.- OS DEPARTAMENTOS DE ACESSO AO MERCADO

6.1.  Estrutura, papel e funções de um departamento de acesso ao mercado

6.2.  A integração do departamento de acesso ao mercado numa empresa farmacêutica

6.3.  Relação com outros departamentos: regulamentar, médico, marketing e vendas

Prof. Dr. Alexandre Nunes

ISCSP.

Prof. Dr. Paulo Boto

ENSP.

Dr. Luis Rocha

Novartis.

Dr. José Carlos Pereira

Centro Hospitalar do Oeste.

Dra. Nadine Ribeiro

Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo – ARSLVT.

Dra. Vanessa Paulino

Centro Hospitalar do Barreiro-Montijo – CHBM.

Prof. Dra. Cláudia Furtado

INFARMED.

Mestre Miguel Papança

Gilead Sciences.

Dr. Miguel Lopes

Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares – APAH.

Dr. Pedro Rodrigues

Managing Partner Collaborating Consulting.

Dr. Vasco Conde

NovoNordisk.

Prof. Dra. Filipa Aragão

INCA – INCremental Action consulting, Lda & MAPLE HEALTH GROUP.

Prof. Dra. Teresa Magalhães

ENSP e Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa.

Dra. Helena Freitas

Sanofi.

INSCRIÇÃO:

  • O custo total do programa é de 2.950€.
  • Inclui assistência e material didático.
MODO DE PAGAMENTO:

 

  • Transferência do valor total para a conta: PT50 0007 0000 0012 02381942 3 indicando o nome do participante.
  • Antigos alunos: desconto de 20%.

Para se inscrever neste Programa Aberto de Especialização desenvolvido pelo CESIF, assim como para mais informações sobre o mesmo, poderá entrar em contacto para:

Telma Carvalho Charrua

Diretora de Formação do CESIF Portugal

tcc@cesif.pt

+351 211 368 572

Pedido de Informação